Notícias

Voltar
17/04/2018

Sapato e autoestima

Por: Equipe bárbara

Por incrível que pareça, inicialmente foram feitos para homens e não mulheres. Historiadores acreditam que os primeiros sapatos de salto fabricados eram usados por açougueiros egípcios, com o objetivo de não sujar os pés durante o trabalho.

Há relatos que a esposa de Henri II, na França, Catherine Médicis, que era muito maior que seu marido, mandou fabricar sapatos altos para ele ficar na altura dela. Louis XIV, também na França, tinha uma estatura pouco avantajada. Por este motivo tinha uma coleção de calçados que daria inveja a qualquer mulher.

Foi na década de 50, quando surgiu o salto agulha que as silhuetas femininas tomaram formas desconhecidas até então.  Este tipo de salto está ligado diretamente à ilusão de pernas mais finas e longas. A partir desta época os saltos ganharam várias formas e modelos.

Contudo, há no início do século XXI uma mudança no comportamento feminino. Com a correria do dia a dia e a inserção da mulher no mercado de trabalho, elas estão preferindo sapatos mais confortáveis.

Ao subir em um salto toda mulher tem um aumento de auto-estima, se sente mais bonita. Contudo, não se pode ter o pensamento que, ao descer do salto, a pessoa irá ficar mal arrumada ou desleixada. É necessário o uso de um sapato confortável para os dias de mais agitados.

Queremos saber, qual seu estilo?

 

Conteúdo: RRPP online




Leia também



Comente esta notícia